sexta-feira, 17 de junho de 2016

Cenário eleitoral começa a se definir

(Publicado na coluna Entre Linhas do jornal A Semana em 17/06)

Largada

O Partido Progressista e o Democratas largaram na frente na corrida eleitoral deste ano. O PP foi o primeiro a anunciar apoio a um pré-candidato a prefeito de outro partido e oferecer um nome para vice. Pelo Democratas, Douglas Martello vem anunciando há mais de um ano sua disposição de concorrer à prefeitura, e seu partido vem conquistando o apoio de outras siglas com o discurso da renovação do ambiente político da cidade. Nesta semana, foi a vez de o PP apresentar um nome para compor a chapa majoritária. Francisco Ourique foi oficialmente anunciado como pré-candidato dos progressistas a vice-prefeito, em um evento que também serviu para selar a aliança entre os dois partidos e apresentar seus pré-candidatos a vereador.

Perfil

Ourique tem formação superior em Gestão Pública e pós-graduação em Gerência de Cidades, além de experiência em diferentes administrações municipais de outras cidades, o que o credenciou a conquistar a indicação do partido. Como o Democratas, o PP tem explorado a ideia de qualificar a administração do município através da indicação de pessoas com perfil técnico e profissionalmente capacitadas, o que, segundo lideranças de ambas as siglas, não tem sido observado nas equipes que vem se alternando frente à prefeitura da cidade nas últimas gestões. O peso político, afirmam, tem deixado em segundo plano a eficiência da gestão, e favorecido que a ocupação dos cargos seja encaminhada por critérios políticos das lideranças dos partidos que ocupam a administração municipal.

Invasões

Diversas áreas da cidade estão ocupadas ilegalmente por invasores. O poder público tem sido omisso em fazer cumprir a lei e respeitar a propriedade privada, bem como em preservar as áreas públicas que também têm sido alvo das invasões. E o caso, entre outros, da área de preservação permanente (APP) do Distrito Industrial. Quando um empresário corta um pé de maricá, é sujeito a levar uma multa pesada e, se bobear, pode até acabar preso. Mas dezenas de famílias constroem barracos em meio à vegetação que deveria ser preservada, fazem a limpa no mato, improvisam ligações clandestinas de energia elétrica e vão ficando, ficando...

Co-autores

Segundo relatos de invasores, existem agentes políticos que organizam invasões e orientam as famílias, enquanto outros oferecem assistência jurídica para amparar os criminosos. Não é de se estranhar que aqueles que deveriam zelar pela legalidade acabem fazendo tão pouco-caso dessas atitudes criminosas, porque julgam que acabam ganhando alguma coisa para si mesmos em cima do crime alheio. O que, aliás, os torna tão criminosos quanto os invasores.

Enchentes

A Audiência Pública promovida pela Metroplan na noite de quarta discutiu as cheias que todo o ano afligem a população de Alvorada. Foram apresentados os estudos que estão sendo feitos para embasar futuras obras. O governo federal disponibilizou R$ 280 milhões, que estão esperando há anos para serem aplicados, enquanto repetem-se as desculpas oficiais para justificar a inércia das sucessivas gestões. Não há previsão de início nem muito menos de conclusão de obras, nem garantia de que vão mesmo acontecer. A prefeitura lava as mãos, dizendo que a solução está na mão da Metroplan. Vereadores, que historicamente são omissos e não cumprem sua função de fiscalizadores do Executivo, preocupam-se em elaborar bons discursos com vistas às próximas eleições. Enfim, teremos mais um inverno com alagamentos neste ano. E no próximo. E no seguinte...

Leia outros artigos publicados no Jornal A Semana clicando aqui.









Nenhum comentário :

Postar um comentário

Seu comentário será exibido após análise do editor.