domingo, 26 de abril de 2020


As máscaras de Sergio Moro


Giselly Siqueira, assessora de comunicação
de Sergio Moro, é nora de Miriam Leitão

Atrás da máscara que caiu, havia outras máscaras.

Sergio Moro, o gigante que se apequenou, vai ao Fantástico. Nada podia ser mais revelador.

Não assisti. Não assisto à Globo há tempos. Meu tempo é muito precioso para ser desperdiçado ali. Já conhecemos seu perfil e sua guerra insana para derrubar Bolsonaro. Informação mesmo, de verdade, encontra-se em muitas fontes. Ali existe apenas militância, desinformação, sensacionalismo e (de)formação de opinião. Refiro-me ao "jornalismo" da emissora. O restante da programação é só lixo e depravação mesmo.

Mas o Moro no Fantástico...

Depois de se revelar desleal, ingrato e traidor, aquele que foi um dia um excepcional juiz no combate à corrupção revelou-se também um conspirador. Escolher a Globo, primeiro através do JN para vazar conversas privadas e depois o Fantástico para levar adiante sua narrativa vitimista e, ao mesmo tempo, revanchista, deixa ainda mais claro que há um plano a ser levado adiante, e não apenas uma inconformidade com seu antigo chefe que o motivasse a abandonar o time.

Moro está mirando muito à frente. Usar a Globo para ampliar a visibilidade de sua narrativa é estratégico para angariar apoios. E obviamente não está sozinho nessa empreitada. O tempo, ou talvez outro agente, se encarregará de revelar seus parceiros.

Desde já, é certo que se trata de adversários políticos de Bolsonaro e, portanto, interessados em abortar seu projeto de reconstrução do pais, pelo qual foi eleito. Meu saudoso pai diria: "se bandeou pro outro lado".

Em tempo: o acerto de Moro com a Globo não foi um improviso. Como poucos sabiam, sua assessora de imprensa no Ministério da Justiça e Segurança Pública, Giselly Siqueira, é esposa de Vladimir Netto, repórter da Globo, filho de Miriam Leitão, conhecida desafeta de Bolsonaro. A matéria do Fantástico foi conduzida por Vladimir.

Não apenas a estratégia da dobradinha Moro/Globo perde a máscara, mas também os constantes vazamentos que antecederam a saída do ex-ministro, que alimentaram a extrema imprensa para incendiar o noticiário. O ex-ministro encarregou-se de revelar a fonte: o próprio Sérgio Moro, através de sua assessora Giselly.

Quantas máscaras ainda haverá por trás destas?










Nenhum comentário :

Postar um comentário

Seu comentário será exibido após análise do editor.